Roubo de Cosméticos Em Supermercado e Fraude Em Mestrado Levam Presidente Da Comunidade De Madrid a Demitir-se

A presidente conservadora da região autónoma de Madrid, Cristina Cifuentes, anunciou, esta quarta-feira, a sua demissão, após acusações de obtenção fraudulenta de um mestrado e da divulgação de um vídeo sobre um alegado furto de produtos cosméticos num supermercado.

“Toda a minha ação, toda a minha vida foi posta em causa”, afirmou Cifuentes, de 54 anos, declarando-se vítima de um “linchamento”, depois da difusão de um vídeo, de 2011, em que se vê um agente de segurança a pedir-lhe a abertura do seu saco num supermercado, um incidente que, segundo justificou, se deveu a “um erro involuntário” reparado imediatamente.

A polémica à volta de Cifuentes começou quando o ‘site’ de notícias eldiario.es noticiou que a presidente da região de Madrid tinha obtido um mestrado na universidade pública Rei Juan Carlos graças à falsificação de duas notas.

As acusações foram subindo de tom, tendo um outro meio de comunicação social, El Confidencial, avançado com a existência de duas assinaturas falsas num documento apresentado por Cifuentes para provar que o diploma era verdadeiro.

Em 17 de abril, a presidente da Comunidade de Madrid já anunciara renunciar ao seu mestrado universitário, apesar de ter assegurado ter cumprido todo o processo burocrático que lhe foi pedido, assim como o estipulado na lei.

Cifuentes compareceu na semana passada no parlamento regional para se defender, tendo assegurado que “nem currículo nem notas tinham sido falsificadas”, mas não apresentou o trabalho de fim de mestrado, que teria perdido durante uma mudança.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO