Brinquedos Deixados à Porta Do Tribunal De Braga Contra a Libertação De Pai Suspeito De Violar a Filha

Dezenas de brinquedos foram ontem colocados à entrada do tribunal de Braga, em protesto pela libertação de um homem de 44 anos suspeito de abusar sexualmente da filha, de 15 anos, no Dia da Mãe.

A iniciativa foi promovida pela Associação Mulheres de Braga, (AMBRAGA), cuja presidente, Emília Santos, disse que este é um “grito de revolta por mais uma decisão judicial que deixa as vítimas entregues à sua sorte“.

“Não se compreende que um homem que abusa de uma filha de 15 anos seja deixado em liberdade, apenas com proibição de se aproximar das filhas e com pulseira eletrónica. Na prática, tanto a vítima como a irmã, ambas menores, ficam completamente expostas ao perigo“, referiu.

Um juiz de instrução criminal no tribunal de Braga aplicou-lhe, como medidas de coação, apresentações periódicas na PSP e proibição de se aproximar das filhas, a menos de 500 metros, uma medida controlada por pulseira eletrónica.

Entre os vários objetos relacionados com crianças, deixados à porta do tribunal, destaca-se também várias tarjas, entre elas uma que refere “deixamos estes brinquedos como o senhor juiz deixou desprotegidas aquelas crianças“.

 
No mesmo dia a PSP pôs fim ao protesto das “Mulheres de Braga”, recolhendo todos os brinquedos, peluches e as várias tarjas.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO