“Revoltante!”: Brasileiro Negro Algemado Por Andar De Bicicleta Em Parque

Uma interação entre a Polícia Militar e um jovem negro começou este sábado a provocar reações nas redes sociais, depois de publicado o vídeo da mesma. O youtuber brasileiro Filipe Ferreira estava a gravar manobras com a bicicleta, num parque da Cidade Ocidental, no estado de Goiás, quando dois agentes o interpelam e, por serem questionados, apontam a arma e algemam o jovem.

Os agentes gritaram para Filipe se afastar da bicicleta e este questiona porquê. “Porque eu estou a mandar”, responde um dos agentes, que já saiu do veículo com a arma desembainhada. “Mandando? Não é assim não, filho”, responde o jovem, que se dirige para o telemóvel, que estava colocado no chão, a filmar. Nesta altura, os agentes apontam-lhe as armas. “Como é que é? Coloca as mãos na cabeça”, ordenam.

“Não é assim que se trata uma pessoa”, respondeu Filipe Ferreira. “É o procedimento”, continuou o agente. O youtuber, cauteloso, avisou que ia tirar a camisola para mostrar que não estava armado, sendo pouco depois algemado. “Resiste aí para ver o que vai acontecer contigo”, ameaçaram os agentes.

No Brasil, a lei determina que “só é lícito o uso de algemas em caso de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à integridade física própria ou alheia”.

Várias personalidades brasileiras recorreram às redes sociais para comentar a interação, acusando os agentes de abuso de autoridade e comentando o racismo estrutural que determina este tipo de abordagem. “Enquanto houver racismo, não haverá nação. Revoltante”, protestou o antigo ministro e antigo autarca de São Paulo, Fernando Haddad (PT).

“Podre. Nojento. Repulsivo. Patético. Abusivo. Revoltante”, escreveu o ator e comediante Felipe Neto, na mesma rede. “Isso é revoltante demais. Chega a doer… o tratamento, a agressividade e o fechamento. ‘Tá tudo errado”, lamentou o rapper Rashid. O cartoonista Carlos Latuff apontou o racismo estrutural.

Já segue a Desconcertante no Instagram?