Piloto De Helicóptero De Combate a Incêndios Suspenso Após Realizar Manobras Perigosas Em Santa Maria Da Feira

O piloto que fez manobras acrobáticas perigosas em Santa Maria da Feira, com um helicóptero da Protecção Civil, foi suspenso e alvo de um inquérito disciplinar, numa altura em que se descobre que foi tudo por uma promessa feita ao filho.

As manobras acrobáticas realizadas pelo piloto correram nos campos de formação do Clube Desportivo Feirense onde se encontravam na altura cerca de mil pessoas.

Rui Tavares testemunhou o episódio e relata no seu perfil do Facebook que viveu uma “das situações mais perigosas de toda a vida”.

“Aquilo que parecia uma aterragem de emergência, rapidamente se percebeu ser uma brincadeira de muito mau gosto, que pôs em pânico pessoas, atletas e dirigentes do clube”, conta o utilizador, que divulgou um vídeo que mostra algumas das acrobacias realizadas pelo piloto.

Na origem de tais manobras esteve uma promessa do piloto ao filho, de dez anos, que joga num dos escalões de formação do Sãojoanense. Miguel Costa, que ia pilotar nesta época de incêndios o helicóptero A350 B3 propriedade da ANPC, comprometeu-se com o filho que, durante a partida de futebol do pequeno, iria rasar um dos quatro campos de jogos do complexo e surpreender os colegas da equipa.

Miguel Costa, que estava sozinho, passou com a aeronave junto aos postes do campo onde o filho estava a jogar e manteve-se a baixa altura sobre o terreno. Há quem diga que antes destas imagens captadas por Rui Tavares, o helicóptero fez manobras muito mais perigosas.

A ANPC pediu um esclarecimento à Heliportugal, a empresa responsável pela operação e manutenção da aeronave que respondeu com a suspensão do piloto de todas as operações de voo.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO