Morreu e a Família Vendeu o Alfa Romeo Histórico… Neste Estado

Pode parecer-lhe algo estranho ou até mórbido, mas este Alfa Romeo Super Sport Spyder de 1954 esteve envolvido no acidente fatal do professor Merrick Taylor em 2012. A mulher, Gisela Taylor, e as suas filhas guardaram o clássico italiano durante 10 anos e passado este tempo… decidiram vendê-lo. Tal e qual como estava, apenas colocado sobre uma estrutura metálica.

Vendido em leilão através da Auctomobile, no passado mês de março, o comprador não foi revelado, assim como o preço pelo qual foi vendido. No entanto, estima-se que possa ter rendido um valor superior a 100.000 euros.

Construído na década de 50 pela Carrozzeria Touring, o Super Sport Spyder foi inspirado no Disco Volante original, um dos automóveis mais icónicos da Alfa Romeo. Equipado com um motor de 1.9 litros de capacidade, associado a uma caixa manual de quatro velocidades, debitava um máximo de 140 cv e 165 Nm de binário. Devido ao seu baixo peso (apenas 910 kg) permitia alcançar os 220 km/h de velocidade máxima e cumprir uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 8,4 segundos.

O Alfa Romeo Super Sport Spyder participou na famosa Mille Miglia de 1954, tendo sido conduzido por Consalvo Sanesi y Giuseppe Cagna. Foi passando de dono em dono até em 1994 chegar às mãos de Taylor. A última viagem de Merrick Taylor foi a 14 de fevereiro de 2012, onde um acidente com um Peugeot 406 se revelou mortal. O óbito foi declarado no local.

Merrick Taylor, recorde-se, foi diretor da Motors Panels Ltd, chegou também a ser reitor das Universidades de Conventry e Montfort e recebeu a Ordem do Império Britânico das mãos da Rainha pelo seu contributo à industria automóvel.

Já segue a Desconcertante no Instagram?