Jovem Grávida De 16 Anos Acorda Dentro Do Caixão

A família de Neysi Perez, de 16 anos, teve de lidar duas vezes com a morte da jovem depois de ela ter acordado dentro do caixão, mas acabou por ser dada como morta novamente. O caso aconteceu em La Entrada, cidade de Honduras.

A jovem tinha-se casado recentemente e estava grávida de 3 meses, foi encontrada inconsciente após acordar no meio da noite para usar o WC.

Um dia após o enterro, o viúvo da mulher, Rudy Gonzales, foi visitar a lápide da esposa. Ele teria ouvido batidas e gritos abafados de dentro do túmulo e, imediatamente, pediu ajuda para resgatar a mulher. Os familiares chegaram a fazer um vídeo do momento em que dezenas de pessoas se aproximam e ajudam a partir o túmulo e o caixão para retirar a mulher.

“Quando coloquei a minha mão no túmulo eu pude ouvir ruídos de dentro. Eu ouvi batidas, e então escutei uma voz. Ela estava a gritar por ajuda”, disse o viúvo “Isso já havia acontecido no dia em que ela foi enterrada. Eu não consegui acreditar. Fiquei muito esperançoso”, acrescentou.

Ainda dentro do caixão, Neysi foi levada para um hospital em San Pedro Sula. Os médicos tentaram reanimar a mulher, mas todos os exames e a falta de sinais vitais mostraram que ela estava clinicamente morta.

“A família inteira entrou tão bruscamente que quase arrombaram a porta, carregando a jovem no seu caixão”, contou Claudia Lopez, a médica que atendeu o caso. “Eu disse para eles a tiraram de lá e a colocarem na cama. Todos diziam que ela estava viva, então eu fiz os procedimentos necessários. Nós fizemos o possível, mas a jovem estava morta. Eles colocaram-na de volta no caixão, de volta ao cemitério”.

Os médicos acreditam que ela pode ter tido um ataque de pânico que fez o seu coração parar.
Outra hipótese é que Neysi tenha sofrido um ataque de cataplexia, que causou a perda temporária da função muscular – o que acontece em casos de forte estímulo emocional, como stress ou medo. Neste caso, ela teria morrido por falta de oxigénio após ‘despertar’ no caixão fechado.

Carolina Perez, prima de Neysi, disse que a mulher ainda estava “quente” quando foi retirada do caixão e tinha arranhões na testa e contusões nos dedos. “Parecia que ela tinha-se magoado por desesperadamente tentar sair do caixão”.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO