Filha Do Presidente Do Azerbaijão Tira Selfies Enquanto o Pai Faz Discurso Sobre Genocídio

O Presidente do Azerbaijão foi à Assembleia Geral da ONU acusar a Arménia de “genocídio”, durante a guerra de Nagorno-Karabakh. O ridículo da intervenção de Ilham Aliyev, “o último ditador ocidental”, passou despercebido porque a filha, Leyla, de 33 anos estava… a tirar selfies para partilhar nas redes sociais.

Ilham Aliyev, classificado por muitos como “o último ditador ocidental”, estava a negar as responsabilidades do Azerbaijão na guerra de Nagorno-Karabakh (1991-94), acusando a vizinha e rival Arménia de… “genocídio”.

“A 26 de fevereiro de 1992, a Arménia cometeu crime de guerra, assassinando 613 pacíficos residentes, incluindo 106 mulheres e 63 crianças”, continuou Ilham Aliyev. E, na galeria, a filha, de 33 anos, continuava a fazer selfies.

Afinal, não é todos os dias que se pode entrar na sede das Nações Unidas. E muito menos quando se debatem genocídios, crimes de guerras e outros horrores. Uma oportunidade que Leyla Aliyev não podia desperdiçar…

DEIXE O SEU COMENTÁRIO