“Buttf**ker 3000”: Nome De Utilizador Custou Raspanete De juiz Ao réu

Os hábitos de navegação online ganharam um novo enfoque com a obrigatoriedade de ficar em casa durante a pandemia do novo coronavírus, que o diga um arguido norte-americano, esta semana repreendido pelo juiz que o recebeu numa reunião levada a cabo na plataforma Zoom.

O incidente aconteceu na terça-feira, numa audição online de um tribunal da região de Centreville, no estado norte-americano da Virgínia. O réu entrou na reunião com um nome de utilizador pouco decoroso – “Buttfucker 3000”, uma referência sexual explícita – e o juiz não fingiu que não reparou.

“Bom dia, senhor. Qual é o seu nome?”, questionou o juiz Jeffrey Middleton. “É Nathaniel Saxton, senhor juiz”, respondeu o homem. “Então não é ‘Buttfucker 3000’… ligou-se à minha sala de audiência com isso como nome de utilizador. Que tipo de idiota se liga ao tribunal assim?”, questionou o magistrado.

Saxton, que aparenta estar confundido e surpreso, diz ao juiz que não escreveu aquilo. “Bem, é o que diz”, disse o juiz, ao que o homem pede desculpa. “Vou pô-lo em sala de espera, fique aí no limbo durante um bocado e pense no que chama a si mesmo online”, decidiu Middleton.

Saxon voltou, eventualmente, a entrar na sala de audiência online, já com o nome correto. Explicou, depois, ao juiz que foi a sua irmã quem fez aquele perfil de Zoom e que o nome em causa era “uma piada interna”. “Estou envergonhado, peço desculpa”, repetiu.

De acordo com a imprensa norte-americana, Saxton tinha audiência marcada para ser ouvido por posse de droga, tendo acabado por ser multado em 200 dólares.

Já segue a Desconcertante no Instagram?